• Um caldeirão de pura cultura baiana

    Forró na Bahia

    Dendê Baiano


    Ellen Carvalho




    O estilo musical urbano de Ellen mistura o tradicional e o moderno, instrumentos acústicos e eletrônicos, técnica vocal e pura paixão. Com uma trajetória paralela entre a academia e a música das ruas, a cantora se utiliza de diversos elementos dos dois contextos para construir suas interpretações das canções. Tendo também experiência em teatro, faz das suas performances algo passional, bruto, natural, mas também estratégico e elaborado. Ellen canta “música brasileira para dançar e sonhar”, como ela define.

    Começou seus estudos musicais aos 8 anos, com aulas particulares de piano, porém a continuidade em aprender esse instrumento se consolidou aos 15, no Conservatório Estadual Cora Pavan Capparelli, em Uberlândia (MG). A adolescência vivida no interior de Minas Gerais lhe trouxe também outras experiências: técnica vocal, teoria musical e participação em diversos corais e grupos vocais.

    Aos 19 anos retornou para Salvador, sua cidade natal, decidida a estudar nas Oficinas de Música da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Dedicou-se às aulas de canto, violão, teoria, regência e piano.

    Entre seus estudos, shows com voz e violão em barzinhos, casamentos e eventos corporativos como cantora, pianista e harpista, marcaram sua carreira.

    O trabalho foi galgando a consolidação através da montagem de bandas de diversos estilos musicais. Fundou a primeira banda de mulheres do hip hopnordestino, chamada O Grito, em 1999. Participou da banda de pop rockEntre Aspas, no ano 2000. Em 2002, trabalhou com a banda experimentalSáfaros. A banda de blues A Dama e os Viralatas, em 2005, fez parte da trajetória musical da cantora.

    Em 2007, entrou para o curso de Licenciatura em Música, na UFBA. Tempos depois, com a abertura do curso de Música Popular com habilitação em Canto, pediu transferência, estudando até os dias atuais. Teve aulas particulares de canto com Ana Paula Albuquerque e de piano com Julia Akatsu. E também aulas de harpa com Mariana Tudor entre os anos de 2010 e 2012.

    Neste ano de 2013, lançou seu primeiro projeto solo, intitulado Quando Eu Canto. Com músicas autorais e novos arranjos para composições que lhe são referência, Ellen mostra um pouco do seu percurso musical e sua diversidade rítmica através deste trabalho, já apresentado em teatro, eventos e bares. Saiba mais sobre o projeto Quando Eu Canto.

    Atualmente, seus estudos vão além da licenciatura. Ellen também faz curso técnico de piano pela Fundação Cultural do Estado da Bahia e pós graduação em Musicoterapia, pela Faculdade Hélio Rocha.

    No mês de abril deste ano, a musicista, em parceria com outros profissionais, abriu a escola de música Solamus. Aulas de canto e instrumentos são oferecidas a crianças, jovens e adultos. Localizada na Ladeira dos Galés, no bairro de Brotas, em Salvador (BA).


    Conheça: www.ellencarvalho.com.br

    Curta: www.facebook.com/ellencarvalhomusic

    Contrate: adriana@gramophonemusic.com.br




    Sasminina



    O Grupo Sasminina reverencia a música brasileira através de uma de suas expressões mais genuínas: o samba. Samba de todos os tipos. Dos clássicos aos contemporâneos. De origem baiana, interpretando canções de Walmir Lima e Dorival Caymmi, ou carioca, com músicas de Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz e Dona Ivone Lara. Nesta temporada as musicistas mesclam composições autorais a outras que não podem faltar em uma autêntica roda de samba. 

    Do repertório próprio, estão “Conversa de Amiga”, assinada por Luana Assiz, Lule Britto e Laurisabel Assil, “Quero Ser Solteira”, de Tacila Almeida, “Amaralina”, de Juracy Tavares, e “Gabi”, de Rordigo Moraes.. Qualquer vertente do gênero é bem-vinda,desde que desperte no público a vontade de cantar ou dançar–ou ambos.

    Cumprir esse desafio é, djavaneando, fato consumado em todo o repertório, que contempla desde os clássicos às músicas contemporâneas do samba. Todas essas influências são interpretadas por 
    Lule Britto (voz)
    Luana Assiz (violão)
    Laurisabel Assil (flauta) 
    Flavinha Góes (percussão)


    Contato: sasminina@gmail.com 





    Duda Spínola




    Duda Spínola começou a tocar guitarra aos 15 anos de idade, influenciado por bandas brasileiras de rock como Barão Vermelho e Paralamas do Sucesso, além de artistas internacionais como Guns n Roses, Jimi Hendrix e Santana. Duda também segue um caminho de escolha de referências musicais que começou na infância, quando seus pais ouviam a Jovem Guarda, Roberto Carlos, Os Incríveis, além de Zé Ramalho, Raul Seixas, Rita Lee e outros tantos. 

    Com o passar do tempo, mais e mais artistas e sons foram sendo descobertos e passaram a acrescentar algo nessa formação. A essa altura ele já tocava junto com amigos da vizinhança, em Salvador, com pequenas bandas de garagem que passeavam por diversos estilos. No final da década de 90, descobre a música reggae de Bob Marley, e artistas baianos como Edson Gomes, Nengo Vieira, Sine Calmon, Adão Negro e Diamba. No ano de 2001 funda, com um grupo de amigos, a banda de reggae Jaive, e, à frente da mesma, gravou um cd demo, que já contava com a canção "A Noite", presente no seu mais recente trabalho. A banda tocou por diversas casas de show em Soterópolis e fez algumas apresentações no interior do estado da Bahia, até o ano de 2006 quando foi desfeita. 

    Ainda em 2006, Duda recebeu o convite para integrar, como guitarrista, a banda de reggae Adão Negro, com a qual tem tocado até os dias de hoje, tendo gravado três CDs; Pele Negra (2007), Be Free (2009) e Mais Forte (2010). Algumas de suas composições foram gravadas pelo grupo, dentre elas "Cara da Rua", "Time for Loving", "Tudo em meu viver" e "Não vale mentir". 

    O ano de 2011 marca o lançamento do seu primeiro CD solo intitulado A vida me chama lá fora, CD inteiramente autoral, que conta com canções moldadas segundo todas as suas influências, que passam pelo rock, pop e reggae!




    Contrate: adriana@gramophonemusic.com.br  





    "Abre a roda que a Tabuleiro Musiquim chegou. "



    Silvio de Carvalho (voz e guitarra), Bruno Balbi (guitarra), Coelho (contrabaixo), Felipe Dieder (bateria) e Diego Cerqueira (percussão) apresentam ao público um repertório autoral, composto em sua maioria por Silvio de Carvalho, com elementos regionais que remetem à cultura popular baiana, mas que passeia por referências variadas como Lenine, Davi Moraes, Black Rio, Caetano Veloso, Novos Baianos, Nação Zumbi e tantos outros. Nesse tabuleiro tem espaço pra interferências eletrônicas, distorções nas guitarras, linhas de baixo funkeadas, e ao mesmo tempo bateria minimalista e percussão groovada. O resultado é uma sonoridade genuína, sedutora e contagiante.

    A identidade da Tabuleiro está presente nas letras que traduzem o cotidiano regional, sua sensualidade, samba, religiosidade e brejeirice, mas também na influência universal da música vinda de todas as partes do mundo.

    Guarde o que eu vou te dizer: a Tabuleiro Musiquim vai surpreender o cenário musical baiano pela ousadia e pela novidade. E vai ser difícil não se render a esse tabuleiro cheio de ginga. Ou você não sabe que todo menino já nasce com vontade de sambar?

    Descrição Abre a roda que a Tabuleiro Musiquim chegou. Mas não se deixe enganar: o som da Tabuleiro não é algo que você já conheça. Não é samba, não é rock, não é eletrônico, não é simples, nem é nada complicado. Mas calma, você vai entender no primeiro acorde. É tudo junto executado por cinco músicos que desafiam você a experimentar junto com eles a mistura de tudo isso e de muitos outros elementos.








    Back to Bahia




    Baiano e ex-Timbaleiro morando em Nova York volta pra mostrar seu próprio trabalho chamado "Back to Bahia". Com uma banda formada de músicos Baianos e Americanos, sua musica combina MPB com  traços de afrobeat, reggae, merengue e outros ritmos mundiais.


    Nascido e criado em Salvador, aos 14 anos, entrou na Timbalada e começou na última linha e seguiu seu caminho até a linha de frente. Um dia, Brown observou Dendê, ficou impressionado com sua técnica e lhe mandou pela banda show. Durante seus oito anos na banda, Dendê fez várias turnês nacionais e internacionais, gravou oito dos seus álbuns e também foi chamado pra tocar e gravar com alguns grandes nomes da da música brasileira como Carlinhos Brown, Marisa Monte, Caetano Veloso e Gilberto Gil, entre muitos outros.

    Dendê também absorveu os ritmos que ouvia nos terreiros Casa Branca e Oxumaré que ficam perto da sua casa.

    Agora com uma segunda base em Nova York, os grupos do Dendê floresceram. Com seu tempo dividido entre a Bahia e Nova York também tem infundido a sua música com um sabor inconfundivelmente internacional. Mas agora, a grande vitoria e de poder voltar pra Bahia pra poder apresentar seu próprio trabalho, Back to Bahia.

    Desde 2001, ele divide o seu tempo entre Nova York e Bahia. Morando nos Estados Unidos ele já tocou com estrelas como Mongo Santamaria, Giovanni Hidalgo, Zakir Hussain, David Byrne e Vinicius Cantuária, mas e como líder e compositor principal da sua banda que Dendê fez seu maior impacto.
    Nesse mês de Janeiro, Dendê vai descer para Bahia para tocar e gravar pela primeira vez no Brasil com a sua banda. O segundo álbum, chamado Back to Bahia, vai celebrar essa volta vitoriosa pela sua terra


    Fonte: Mamadêlê Produções





    São "Três na Folia" 



    Foto Secult Ba

    O 3 na Folia é um projeto que reúne três das mais produtivas intérpretes da música baiana contemporânea. Cláudia Cunha, Manuela Rodrigues e Sandra Simões, embora apresentem estilos diferentes em suas carreiras solos, mostram uma sintonia perfeita que as fazem brilhar juntas e em uníssono, cantando releituras de clássicos do carnaval de diferentes épocas, com um necessário toque de modernidade.

    O grupo foi formado em 2009 e fez sua estréia fazendo a festa do folião pipoca no domingo de carnaval, no circuito Campo Grande, puxando um Trio da Secult. Desde então, o 3 na Folia vem marcando presença no carnaval, em apresentações de sucesso de público e crítica. Em 2010 o projeto foi contemplado pela segunda edição do Edital ‘Tô no Pelô’, iniciativa da Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA), através do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Ipac), com recursos do Fundo de Cultura da Bahia (FCBA).






    Primeiro CD do Coro de Cor: Singularidades




    “Singularidades” é o título do primeiro CD de carreira da banda Coro de Cor que, após quatro anos percorrendo a Bahia e disseminando sua MPB contemporânea, vem comprovar neste registro a força da música baiana em seus mais variados estilos.

    Da ideia de que cada ser humano é único com características peculiares, nasce esse projeto que traz no repertório canções autorais como “Sertão Meu”, vencedora do Festival de Música dos Bancários 2009, e “Dança” selecionada para o Festival de Música da Educadora FM que acontece neste ano. Enriquecendo o álbum com suas singularidades, também estão Carlinhos Brown, Caetano Veloso e João Donato



    Fonte: Site Coro do Cor


                  


    Banda V.i.l.l.a apresenta um afro pop original


    A bagagem profissional e criatividade motivaram a criação da banda V.i.l.l.a, que mistura a essência do reggae jamaicano com a tradição do pop brasileiro, além de uma pitada da música negra africana. A banda, formada por músicos experientes que integraram bandas bem conceituadas e famosas no cenário local, nacional e internacional, já começou as apresentações como parte dos ensaios de primavera que antecedem o lançamento do primeiro disco.

    O projeto, que prioriza o lado autoral do grupo, nasceu em 2010, em Salvador, fruto da vontade dos músicos Carlos Boca (guitarra e voz), Robinson Cunha (Bateria), Jota Anderson (contrabaixo) e Juliano Oliveira (teclados) de investir em uma banda que, a partir do reggae e do pop, criasse uma sonoridade original e agradável a todo tipo de público. Esta união proporcionou a gravação de um CD promocional no qual foram executadas três músicas de autoria da banda, além de dez releituras de outros artistas que receberam nova roupagem e fazem parte do repertório do show. 
    Às vésperas de lançar o primeiro álbum completamente autoral, a banda V.i.l.l.a se apresenta em Salvador com os ensaios de primavera, para que o público possa acompanhar o nascimento deste disco. O CD promocional da V.i.l.l.a pode ser baixado gratuitamente no site da banda:www.bandavilla.wordpress.com

    Fonte: Ana Camila - Assessoria de Imprensa



    A Bolha



    O que é a Bolha?

    Festa mensal de rock realizada em Savador. Comandada por Luciano Matos aka el Cabong, DJ, jornalista e responsável pela antológica festa Nave (2005-2010) e pelo Baile Esquema Novo; Lola B., produtora e DJ da festa Top Top; além de Carol Morena, produtora e DJ - que deixou a Paraíba e veio morar na Bahia - ela produz, em João Pessoa, o Festival Mundo e fazia a festa Clash. 

    A Bolha é uma festa de rock, mas sem banda. São DJs colocando o público para dançar novidades, velharias, clássicos, lançamentos, hits e músicas desconhecidas do mundo do rock internacional e nacional. Não é música eletrônica, a proposta é dançar desgovernadamente durante toda noite ao som de rock, bom rock, muito rock.

    Quantas vezes já se ouviu essa história de que o rock morreu? Se essa afirmação ainda é uma novidade para alguns, eles que se preparem, ainda vão ouvir muitas vezes. O Rock Não Morreu! E, não é A Bolha que diz ou comprova isso, a festa apenas é uma válvula de escape, em Salvador, da produção de rock feita pelo mundo. Simples assim. É o lugar para experimentar as novidades do rock e relembrar clássicos de todas as épocas deste que é o sinônimo da juventude no mundo. Festa para se esbaldar de dançar!

    DJ, jornalista e também responsável pelo Baile Esquema Novo, Luciano Matos aka el Cabong vai apresentar vários lançamentos e novidades do rock, além de clássicos recentes do rock mundial. Lola B., também produtora e DJ da festa Top Top, prepara um set com indies mais contemporâneos (Phoenix, Janelle Monaé, Two Door Cinema Club) e mashups. Carol Morena, também DJ, que veio de João Pessoa, onde produz o Festival Mundo e produzia a festa Clash, promete um set com muito rock.

    Uma festa para quem quer dançar ao som de clássicos dos Beatles, Ramones, Gang of Four, Pixies, The Cure, Nirvana, Blondie e até da história recente, como Queens of the Stone Age, Arctic Monkeys, Strokes, Foo Fighters, Arcade Fire, Weezer. Tem espaço ainda para os sons sacolejantes de James Brown, LCD Soudsystem, Gossip, Phoenix. E também para ouvir novidades quentíssimas, como Two Door Cinema Club, Yuck, The Vaccines, Ida Maria, entre outras. Por sinal, numa parceria com a Lab 344, iremos sortear CDs das bandas Two Door Cinema Club, Vampire Weekend, Superchunk e The Love Language. E ai? Vai ficar em casa vendo TV?

    Os sets dos DJ’s Residentes 

    Um caldo sintonizado com os sons que os DJs residentes prepararam:

    Lola B também promete Two Door Cinema Club e Strokes, mas vai também de Arctic Monkeys, Libertines, Ida Maria, Janelle Morae, The Drums, Moptop e outros indies nacionais e internacionais.

    Carol Morena vai de mistura de rock nacional independente e clássicos do rock mundial, de Nevilton a The Clash.

    Luciano Matos aka El Cabong vai colocar a pista para dançar com muitas novidades e lançamentos recentes. Na lista que preparou tem The Vaccines, Black Lips, Foster The People, Frankie & The Heartstrings, Young Buffalo, mas também clássicos e pérolas esquecidas.

    Fonte: MC Assessoria


    ************************************************************************************************************

    Anjos Baianos


    A banda Anjos Baianos, foi criada pelo músico Bacharel em violão e licenciatura em música pela UFBA, Gabriel Macedo . Com a música na veia, Gabriel, que é neto de Osmar Macedo e sobrinho do guitarrista Armandinho resolveu, em 2008, criar uma banda que não se apresentasse apenas para cantar, mas para contar uma história - a história de um mundo fantasioso, de uma época perdida no tempo. O repertório mistura grandes sucessos da MPB com músicas autorais, super irreverentes, que entretêm o público e os levam para uma viagem no tempo. 

    Gabriel assume o personagem Fidalgo dos Mistérios, notável em glória e feitos e juntamente com outros personagens; o Impiedoso; O Benevolente; Rei dos Graves, formam a primeira banda que faz músicas para contar feitos e glórias de um passado divertido e remoto. Cenário e figurino ajudam a entreter o público e fazer com que entrem no clima medieval no qual a alegria é reinante.

    Somos quatro guerreiros da Antiguidade a serviço do grande Imperador Frederico Troá, quem nos enviou aos dias de hoje e nos mandou que espalhássemos a nossa música aos quatro cantos da Terra. O Gran Valoroso Fidalgo dos Mistérios, O Impiedoso, A Egípcia e o Rei dos Graves formam a primeira banda de Rock Imperador de todo o Universo, o rock em honra ao grande Frederico Troá!”, conta Gabriel Macedo.

    Integrantes:
    Gabriel Macedo ( Fidalgo dos Mistérios) - Voz e guitarra.
    Leno Gomes ( O Impiedoso ) - Bateria e voz
    Pretto Trindade ( Rei dos Graves ) - Baixo e voz
    Kamile Leveck ( A Egipcia ) - Guitarra e voz. 

    0 comentários: