• Um caldeirão de pura cultura baiana

    Forró na Bahia

    Semana Cultural Acessível abre programação com debates, oficinas e espetáculos de dança






    O mês de setembro se pinta de verde para reivindicar a inclusão da pessoa com deficiência. Em consonância com a agenda, o Governo da Bahia, por meio da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) e da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), juntamente com o grupo Perspectivas em Movimento, promove a terceira edição da Semana Cultural Acessível, entre os dias 19 e 22 de setembro. Com exceção da abertura, todo o projeto acontece no Espaço Xisto Bahia. 

    A abertura acontece com a audiência pública “Acessibilidade Cultural – Dia Nacional do Teatro Acessível” na Assembleia Legislativa do Estado da Bahia (ALBA), no dia 19, às 10h. A iniciativa é promovida em parceria com o presidente da Comissão de Igualdade da Assembléia Legislativa, o deputado Bira Coroa, e tem como objetivo discutir a Lei 13.442/2017, que institui o 19 de setembro como o “Dia Nacional do Teatro Acessível: Arte, Prazer e Direitos”. Além disso, serão levantados os principais avanços e dificuldades do Estado quanto à promoção da acessibilidade na área da cultura.

    No dia 20, às 19h, acontece no Xisto o espetáculo de dança “Alice no País da Diversidade”, que conta a história de Alice, uma jovem com Síndrome de Down que cai na toca do coelho e vai parar no País da Diversidade. As entradas custam R$10 e R$5.

    Na quinta-feira, 21, às 20h, os grupos AcessibiliTAP e Perspectivas em Movimento convidam o Casulo de Artes Inclusivas. Na ocasião, será apresentado um espetáculo de sapateado estrelado por pessoas com deficiência, explorando todas as potencialidades de seus corpos a partir da dança. As entradas custam R$10 e R$5.

    Para finalizar a programação, a professora Juliana Oliveira ministra a oficina “Dança Materna para Mães e Crianças com Microcefalia” na sexta-feira (22), às 09h. O objetivo da ação é criar um ambiente de leveza e relaxamento através da dança, para que essas mães possam se conectar com seus filhos e retornar ao convívio social. A inscrição é gratuita.

    A coordenadora do Espaço Xisto Bahia, Ninfa Cunha, acredita que a manutenção da Semana contribui para que a causa da pessoa com deficiência possa ganhar cada vez mais evidência. “Estar na terceira edição desse projeto apenas comprova como a pessoa com deficiência pode e tem que ocupar a plateia e o palco dos espaços culturais, mostrando toda a potência de seu fazer artístico”, afirma.

    A Semana Cultural Acessível acontece em consonância com o que está previsto na Lei Orgânica da Cultura, ou seja, ela promove “os meios para garantir às pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida acessibilidade à produção e aos produtos, serviços e espaços culturais”. Sua proposta é criar um espaço onde a pessoa com deficiência possa exercer seu protagonismo na produção e no consumo cultural, além de oferecer meios para que pessoas que não tenham deficiência compreendam a importância em disponibilizar recursos de acessibilidade em todos os meios sociais.

    0 comentários: