• Um caldeirão de pura cultura baiana

    Forró na Bahia

    Jovens negros concluem formação de gestores culturais em Salvador





    O Instituto IRIS conclui a formação em gestores culturais do Projeto ORI em Salvador, a partir das 20h de amanhã, quinta-feira, 17, no Auditório da Faculdade de administração da UFBA. A iniciativa que tem coordenação pedagógica do Dr. Hélio Santos, um dos nomes mais ativos do movimento negro brasileiro, terá em seu encerramento o protocolo formal de conclusão com apresentações dos alunos atendidos. O projeto é apoiado pelo Fundo de Cultura do Estado da Bahia (secretarias da Cultura e da Fazenda), através do Setorial de Formação e Qualificação em Cultura 2016. 

    Desde abril, 299 jovens negros e pardos de 19 a 30 anos, ligados ao movimento negro e cultural, se inscreveram no Projeto ORI propondo ideias de como impactar positivamente as suas comunidades de Salvador, Ilhéus, Feira de Santana, Vitória da Conquista e Santo Amaro. Na capital baiana, 30 jovens chegaram à etapa final e submeteram os seus projetos para aprovação, em um momento de celebração da formação e qualificação obtida. 

    Durante essa semana estão sendo apresentados os picthes para banca de conclusão e obtenção de certificação, que será fornecida pela UFBA. Ao mencionar trecho do rapper Emicida, "Jamais volte para sua quebrada de mãos e mentes vazias", a jovem Ariane Santiago de 25 anos na finalização da apresentação do seu projeto, declarou que todos que participaram do ORI Projeto sairão com uma grande experiência para aplicar em suas comunidades. 

    Após cinco meses de capacitação, em um total de 300h, o curso foi executado em 13 módulos: História da África e do Afrobrasileiros, Políticas Públicas para Igualdade Racial e de Gênero, Gestão da Cultura, Gestão do Conhecimento, Empreendedorismo, Introdução à Ciência e Tecnologia, Legislação para o Terceiro Setor, Economia Criativa, Gestão de Mídias e Redes Sociais, Marketing Social, Planejamento Estratégico, Elaboração de Projetos, Pesquisa Orientada. Além das aulas presenciais, ocorreram workshops e palestras. Em setembro será a vez da conclusão das turmas de Ilhéus e Feira de Santana, e no mês seguinte as de Vitória da Conquista e Santo Amaro.

    O superintendente de Promoção Cultural da SecultBA, Alexandre Simões avalia positivamente a iniciativa na formação de empreendedores culturais. “O curso atende aos ideais do setorial de Formação e Qualificação em Cultura, preparando jovens para lidar com questões sensíveis da cidadania, como as que envolvem gênero e raça. Certamente, esses jovens vão ampliar o debate e serão multiplicadores em suas comunidades de origem".

    Além do apoio do Fundo de Cultura o projeto conta com parcerias da Fundo Baobá, Instituto Brasileiro da Diversidade (IBD), Instituto Cultural Steve Biko, Instituto Mídia Étnica, Colégio Polivalente de Feira de Santana, Casa do Samba, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Universidade Federal da Bahia, Faculdade de Educação da UFBA, Universidade Estadual de Santa Cruz, Teatro Popular de Ilhéus, Fundação Cultural de Ilhéus, Núcleo Territorial de Educação – 20 de Vitória da Conquista, Coordenação da Igualdade Racial de Vitória da Conquista, e Secretaria de Ação Social de Feira de Santana.


    0 comentários: