• Um caldeirão de pura cultura baiana

    Forró na Bahia

    Festa Baiana e itinerante estreia na Chapada Diamantina





    Com objetivo de valorizar a diversidade cultural baiana, estreia no mês de outubro, em Lençóis, na Chapada Diamantina, a festa itinerante “Vem Que Tem” pretendendo movimentar ainda mais a cidade durante o Festival de Lençóis, que reúne milhares de pessoas em três dias de shows. 

    O evento tem intenção de se consolidar como encontro de resistência e celebração, abrangendo público de diversos segmentos para somar em noites mágicas e cheias de groove. Para isso, em todas as edições, a “Vem Que Tem” reunirá artistas ligados em várias temáticas.

    A cidade de Lençóis foi escolhida para receber a 1° edição da festa itinerante, e para começar o projeto com o pé direito, o line up será da melhor qualidade, reunindo artistas talentosos e importantes para difusão da cultura baiana.


    Os primeiros convidados são Portella Acúcar & Som de Crioulas, Feshaação e Batekoo!

    Abre a noite com muita feshaação, o CABARÉ FESHAAÇÃO, com apresentações de performances de Drags Queens atuantes na cena cultural soteropolitana. O Cabaré faz parte do Coletivo Feshaação, nascido na Universidade Federal da Bahia, que apresenta personalidades artísticas que possuem em seus produtos a identidade LGBT e de luta pelo direito à liberdade sexual e de gênero.

    Portella Açúcar, um dos vocalistas do Cortejo Afro, que é uma das referências na Bahia quando se fala em ritmos africanos e percussão, continuará a noite com um show irreverente e com uma voz de emocionar, garantindo tirar o fôlego do público. A Som de Crioulas é uma banda formada por mulheres negras e poderosas que evidenciam ainda mais o empoderamento feminino.

    Por fim, e para agitar a noite Lençoense, a “Vem Que Tem” contará com a participação da festa BATEKOO, uma produção negra e independente que promete fazer todos os presentes dançarem muito ao som de ritmos black como hip-hop, rap, funk carioca, R&B, trap, twerk, ragga, dancehall, kuduro, e suas vertentes. 

    A Batekoo, nascida em Salvador, é um movimento independente e produzido por jovens negros periféricos que implantam suas vivências na proposta desse projeto, para criar seu espaço de empoderamento e tem o objetivo de oferecer um rolê inclusivo para todos.

    Com o sucesso de representação a festa cresceu surpreendentemente e virou um simbolo de resistência na noite dos estados em que acontece; Salvador, São Paulo e Rio de Janeiro.

    0 comentários: