• Um caldeirão de pura cultura baiana

    Forró na Bahia

    Mapeamento de Artistas, Produtores e Grupos Culturais é iniciado no Subúrbio Ferroviário de Salvador





    O Fórum de Arte e Cultura do Subúrbio inicia o Mapeamento de Artistas, Produtores e Grupos Culturais no próximo dia 10 (quinta-feira), no Centro Cultural de Plataforma – espaço administrado pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA). Seu objetivo é identificar melhor as produções culturais presentes nos diversos bairros da região do Subúrbio. Artistas, produtores e grupos culturais do Subúrbio Ferroviário de Salvador estão convidados a realizarem o cadastro, que pode ser feito no Centro Cultural, de segunda à sexta-feira, das 10h às 12h e das 14h às 17h, a partir do dia 10 de março até 26 de abril. O cadastro também pode ser realizado através do e-mail: mapeamento.ccplataforma@gmail.com

    O Mapeamento, além de ser um instrumento indicador das atividades culturais, busca promover um apuramento geral dos trabalhos artísticos que são desenvolvidos na região. Deseja-se assim, estabelecer um diálogo, propor parcerias e até mesmo possibilitar a participação dos artistas na programação do Centro Cultural. O projeto dá início ao Plano CCP 10+10, visando a implantação do Plano Cultural do Subúrbio, com sua estrutura, diretrizes e metas para a cultura na região. 

    Este mapeamento cultural será dividido em quatro fases: grupos, artistas e produtores culturais, de 10 a 20 de março; escolas e cursinhos, de 21 de março a 02 de abril; ONG’s e instituições sociais, de 04 a 14 de abril; profissionais da cultura, seja da área técnica, de produção ou estética, de 15 a 26 de abril.

    O projeto do Mapeamento é resultado de uma ação que se iniciou a partir do Fórum de Arte e Cultura do Subúrbio, através do recebimento do banco de dados do Movimento de Cultura Popular do Subúrbio e da Cipó Comunicação Interativa, parceiros do Fórum e do Centro Cultural.

    Políticas públicas – De acordo com Márcio Bacelar, coordenador do Centro Cultural Plataforma, o Mapeamento de Artistas, Produtores e Grupos Culturais possibilitará a ampliação das ações do Centro Cultural Plataforma para os diferentes grupos identificados. “A proposta também representa um avanço na redução da invisibilidade do espaço, dos grupos e permite a ampliação das ações do poder público para a região”, pontua Bacelar. 

    A partir do levantamento das informações, será criado um cadastro de prestadores de serviço com o propósito de ter sempre atualizado um banco de dados para indicar profissionais da região para prestação de serviço dentro e fora do Centro Cultural.

    O Fórum - O Fórum de Arte e Cultura do Subúrbio foi organizado através de uma articulação entre os diversos grupos da região, das mais variadas linguagens e estilos, em função do início das atividades do Centro Cultural Plataforma. Dentre tantos encontros, o Fórum entendeu que não dava para se restringir apenas a discussão da gestão, mas também, precisava pensar o Centro como uma possibilidade de ampliação de uma política cultural do Subúrbio Ferroviário que contemplasse os mais diversos grupos.


    Sobre o Centro Cultural Plataforma - Depois de quase 20 anos fechado, o Centro Cultural Plataforma abriu suas portas à comunidade em 08 de junho de 2007. A reabertura foi uma conquista dos artistas e entidades socioculturais do Subúrbio Ferroviário de Salvador, que desde o fechamento do antigo Cine-Teatro promoveram uma mobilização permanente, com manifestos, projetos e articulações políticas para recuperar o espaço. De 2007 a abril de 2015, o Centro Cultural Plataforma acolheu mais de 1.200 eventos de teatro, dança, música, cinema, entre outros, atingindo um público de aproximadamente 212 mil pessoas.

    0 comentários: