• Um caldeirão de pura cultura baiana

    Forró na Bahia

    Secretaria da Cultura do Estado anuncia Carnaval da Cultura




    A Secretaria de Cultura do Estado da Bahia anunciou o investimento de R$ 10 milhões para o Carnaval da Cultura, apostando na democracia e diversidade para apoiar centenas de artistas, grupos e entidades culturais que vão participar do Carnaval do Pelô, do Carnaval Ouro Negro, do Carnaval Pipoca e de Outros Carnavais.

    “O nosso compromisso é garantir e estimular que o carnaval seja cada vez mais diverso, porque nós acreditamos que a diversidade cultural é uma das grandes riquezas da Bahia. A Bahia é uma terra de muitas culturas, que convivem e dialogam entre si. Esta característica tem que ganhar expressão também no carnaval”, afirmou o secretário estadual de Cultura, Albino Rubim, na coletiva para a Imprensa nesta quinta-feira, 13, no Forte da Capoeira, no Centro Histórico de Salvador.

    A abertura do Carnaval da Cultura será com a Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA), sob a regência do maestro Carlos Prazeres, com um programa de marchinhas carnavalescas. A OSBA apresenta o BAILECONCERTO no dia 23, às 11h, no Teatro Castro Alves, no programa Domingo no TCA, e também na abertura do carnaval, no dia 26 de fevereiro (quarta-feira), a partir das 17h, no Farol da Barra.

    No Carnaval do Pelô, já estão confirmados 15 grandes shows no palco principal do Largo do Pelourinho, com Carlinhos Brown, Lazzo Matumbi, Baiana System, Mariene de Castro e Margareth Menezes. Nas ruas do Centro Histórico, a animação será garantida por 20 grupos musicais e 12 grupos performáticos. Na decoração, sob o tema “Bahia Negra: Caymmi e Ilê”, o artista plástico J. Cunha tem o desafio de homenagear Caymmi, o Ilê Aiyê e mais as entidades de relevância histórica, como Filhos de Gandhy, Commanche do Pelô, Badauê, Commanche do Pelô e Malê Debalê.

    Mais de 100 entidades carnavalescas dos segmentos afro, afoxé, samba, reggae e índio vão participar do Carnaval Ouro Negro este ano. “O Carnaval Ouro Negro apoia grupos de grande importância social e cultural que ajudam a contar a história da Bahia e do carnaval. São entidades que desenvolvem trabalhos sociais dentro de suas próprias comunidades”, afirma a diretora do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI), Arany Santana. 

    No Carnaval Pipoca, destaque para o apoio aos microtrios, que, este ano, ganharam um investimento maior, de R$ 500 mil reais. Além dos microtrios que desfilam em todos os circuitos da folia, mais 36 atrações artísticas serão selecionadas para as apresentações nos largos do Pelourinho., incluindo grupos e artistas que privilegiam ritmos como afro, reggae, arrocha, pop rock, afro pop, axé, antigos carnavais, samba, rap, hip hop, reggae e dancehall. 

    Além disso, a Secretaria de Cultura do Estado ainda apoia Outros Carnavais, como o Carnaval de Maragojipe, pela sua singularidade cultural, e o Palco do Rock, que promete atrair cerca de 17 mil pessoas para os coqueirais de Piatã para o show de 32 bandas em pleno carnaval.


    Fonte: Assessoria de Comunicação do Carnaval da Cultura

    0 comentários: