• Um caldeirão de pura cultura baiana

    Forró na Bahia

    Leitura Pública aborda o Cordel na Literatura Popular




    “O que é Cordel na Literatura Popular” (Ed. Editora Queimabucha) é o título do livro que será lido pelo poeta e cordelista Franklin Maxado, dia 11 de dezembro, às 17h, no Gabinete Português de Leitura. Trata-se de uma obra importante, que foi considerada por Jorge Amado um clássico no gênero e imprescindível aos professores, estudantes, folcloristas e quem deseja estudar esse tipo de poesia. O livro aborda, com detalhes, a arte universal de narrar estórias e histórias com ritmos e rimas. É composto por 114 tópicos onde estão sintetizadas as origens, os conceitos, as regras, a classificação, estrofes clássicas, 24 ilustrações de capas de folhetos, em xilogravuras e clichês diversos, 10 fotografias com amigos artistas e autoridades e uma bibliografia vasta para pesquisa. O autor também relata experiências, bem e maus sucedidas, abrindo o campo para os poetas que quisessem se arriscar na arte de sobreviver da arte, dando dicas e, pioneiramente, sugerindo caminhos para uma profissionalização da função. 

    Maxado é um dos principais defensores pela valorização do cordel e do poeta. Como afirma Arievaldo Viana, poeta, pesquisador cearense, criador do projeto Acorda Cordel na Sala de Aula, “foi necessário que surgissem pessoas como Franklin Maxado, homem culto, com formação acadêmica, mas profundamente ligado ao universo do cordel, para que alguns disparates começassem a ser refutados de forma eficaz e contundente”. Paulo Dantas, escritor, explica na apresentação que este livro “ensina e conduz, introduzindo os leitores na história universal do cordel, com suas origens e fins, modos e meios de comunicação” endossado, também na apresentação, pelo jornalista e poeta, Crispiniano Neto, figura de renome nacional, originário do Rio Grande do Norte que diz: “leiam Franklin Maxado e saibam o que é Literatura de Cordel. Bom, depois, comecem a falar sobre o assunto”. 

    Sobre Franklin Maxado: Autor de mais de 300 folhetos de Cordel em quase 40 anos de atividade, é o grande representante deste gênero aqui na Bahia. Sócio correspondente do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia, foi correspondente de A Tarde no interior, fundador e diretor da Sucursal do Jornal da Bahia no interior do Estado, fundador e diretor do Sucursal EDA- Emissoras e Diários Associados. Fundador e diretor de TV da TVE- Educativa da Bahia. Foi repórter da Folha de São Paulo, Diário Popular de São Paulo, Diário do Grande ABC e redator da Tribuna de Santos. Colaborador da Tribuna da Bahia, Folha do Norte, Tribuna feirense e de outros jornais.


    Serviço:
    11 de dezembro, às 17h
    Leitura pública do Livro “O que é Cordel”, de Franklin Maxado
    Gabinete Português de Leitura
    Praça da Piedade, s/n – Centro
    71 3329 2733


    Fonte: Helane Aragão - Assessoria de Imprensa 




    0 comentários: