• Um caldeirão de pura cultura baiana

    Forró na Bahia

    Em reforma, MAM-BA se prepara para o futuro




    Não são apenas as portas do Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA) que permanecerão abertas aos visitantes após a reforma em suas dependências, cuja conclusão está prevista para agosto de 2014. As janelas do espaço expositivo conhecido como Casarão – que estiveram escondidas por uma parede cenográfica durante 15 anos – também convidarão o público a apreciar a paisagem formada pelos contrastes da Baía de Todos-os-Santos e das obras em exposição. 

    Esta é apenas uma das novidades apresentadas pelo novo MAM-BA. Além dela, outras mudanças prometem surpreender o público e oferecer ainda mais conforto e tecnologia de ponta para o momento de contato com a arte. O objetivo do projeto arquitetônico, criado pelo arquiteto André Vainer, é possibilitar o acesso do público a um centro cultural dinâmico e atraente para crianças e adultos. “O MAM já nasceu de um projeto que previu atrair as pessoas não só para ver as obras, mas para frequentar, trabalhar e conviver. A ideia é criar possibilidades para pessoas utilizarem cada vez mais todo o espaço do Solar do Unhão”, explica Vainer (confira a entrevista completa em anexo). 

    A reforma inclui a criação de uma nova reserva técnica – que abrigará o acervo com cerca de 1.200 obras de diferentes gerações de artistas, principalmente do Modernismo baiano e brasileiro – e a ampliação do Núcleo de Arte e Educação (NAE), além da instalação de novos sistemas de iluminação e ar condicionado, espaços expositivos mais equipados, novas salas para as oficinas de arte e a construção de um apartamento para artistas, que facilitará a realização de programas de intercâmbio e residências artísticas. 

    Acessibilidade – Uma das principais mudanças será em relação à acessibilidade de pessoas com deficiência. A coordenadora de museologia do MAM-BA, Sandra Regina de Jesus, explica que as salas expositivas e o Parque das Esculturas serão adaptados para receber este público. “Está programada a construção de rampas e outros meios de acesso, como elevadores e alguns caminhos específicos, que são alternativas aos paralelepípedos do Solar do Unhão”, ressalta. 

    Apesar da reforma em toda a sua estrutura, o museu não interrompe as atividades durante o ano. Entre elas, estão exposições, palestras, ações educativas e novos projetos, como os Cursos Livres, realizados em parceria com a Universidade Federal da Bahia (UFBA). A partir da provocação Como Ser Feliz no Século 21?, a primeira edição do projeto conta com seis módulos distintos, cujas aulas gratuitas são ministradas no auditório Nilda Spencer, do Conselho Estadual de Cultura. 

    A realização dos cursos fora dos seus espaços físicos foi uma das estratégias adotadas pelo MAM-BA para expandir suas ações pela cidade. Segundo o diretor Marcelo Rezende, por conta da reforma o museu deve pensar com mais rapidez a maneira de aproveitar o espaço que tem atualmente, enquanto aguarda pelas melhorias de um futuro próximo. 



    Fonte: Núcleo de Comunicação MAM-BA 


    0 comentários: