• Um caldeirão de pura cultura baiana

    Forró na Bahia

    Livro e exposição “Tropicália ou Panis et Circencis” são lançados em Salvador




    Um dos movimentos culturais mais expressivos, a Tropicália, ressurge no cenário brasileiro por meio do projeto editorial “Tropicália ou Panis et Circencis”, que reúne textos de pensadores e obras de artistas plásticos, brasileiros e estrangeiros, reinterpretando as músicas do álbum homônimo de 1968. O livro, idealizado e organizado pela pesquisadora Ana de Oliveira, será lançado em Salvador, no dia 3 de julho (quarta), às 19h, na Caixa Cultural, pela editora Iyá Omin. 

    Além da apresentação do livro, que estará à venda no local, a programação de lançamento inclui uma exposição das obras artísticas criadas especialmente para o projeto; um pocket show de Margareth Menezes, com a participação de Jota Veloso; e um vídeo mapping (projeção mapeada) de Felipe Sztutman na fachada do prédio da Caixa Cultural e na própria galeria. A exposição vai até o dia 4 de agosto, com visitação aberta ao público de terça a domingo, das 9h às 18h. A entrada é franca. 

    Considerado um dos mais importantes álbuns da história da música popular brasileira, o “Tropicália ou Panis et Circencis” foi um divisor de águas e configurou uma mudança significativa no comportamento das gerações que viveram aquele período marcante da história. O disco foi uma obra coletiva de grandes artistas como: Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa, Mutantes, Tom Zé, Torquato Neto, Capinam e o maestro e arranjador Rogério Duprat. 

    “Tropicalismo é um assunto aceso e palpitante, e continua ocupando uma posição central nas discussões sobre a cultura brasileira. Além disso, poucos são os discos que renderiam um livro. O “Tropicália ou Panis et Circencis” é um deles”, afirma Ana de Oliveira, idealizadora do projeto. 

    O livro é composto por doze ensaios inéditos, de autores diferentes, que correspondem a cada uma das doze canções que compõem o LP. São textos que misturam memória, análise, encantamento, documentação, teoria, prática, filosofia, poesia, pão e circo, formando uma obra singular, dedicada especialmente ao disco. Jorge Mautner, Hermano Vianna, Viviane Mosé, Antônio Risério, Aguilar, Bené Fonteles, Bráulio Tavares, Christopher Dunn, Frederico Coelho, Manuel da Costa Pinto, Newton Cannito e Noemi Jaffe assinam os ensaios com considerações teóricas ou inflexões poético-filosóficas acerca das canções. 

    As músicas também foram traduzidas para linguagens próprias das artes visuais e transformaram-se em pôsteres que acompanham o livro, obras criadas por Gringo Cardia, Guto Lacaz, Lenora de Barros, André Vallias, Aguilar, Ailton Krenak, Ernane Cortat, Ray Vianna, Leandro Feigenblatt, Nelson Provazi, Adriana Ferla, Rico Lins e o coletivo artístico internacional Assume Vivid Astro Focus. 

    Na contracapa, quem dá a palavra sobre o projeto é Arnaldo Antunes. “Este livro é uma reflexão sobre o disco-manifesto Tropicália, mas também um reflexo do que ele semeou. As diferentes abordagens, estilos, pontos de vista e criações gráficas a partir de suas doze canções, ilustram, em seu mosaico diversificado, o quanto aquelas conquistas encarnaram em nossa realidade cultural o espírito de invenção, de mistura, de afirmação vital das nossas potencialidades”, escreveu o cantor e compositor. 

    Sobre a autora 

    A história de Ana de Oliveira com o movimento tropicalista é antiga – há mais de 15 anos ela se dedica a estudar o tema, conceituando e dirigindo projetos em torno dele. Pesquisadora, documentarista e editora, Ana possui um extenso acervo textual e imagético com raridades que foi reunindo ao longo dos anos e que, hoje, formam um pequeno museu temático particular. É autora do site Tropicália (www.tropicalia.com.br), a maior fonte online de informação sobre o assunto. Integrou a equipe curatorial e de pesquisa da exposição “Tropicália: A Revolution in Brazilian Culture” realizada, com itinerância internacional, pelo Museum of Contemporary Art Chicago e Bronx Museu, e roteirizou os filmes da cronologia histórica exibidos na mostra. Ana também assina o texto de apresentação do livro “Gilberto Gil” da coleção Encontros (Editora Azougue). 


    SERVIÇO

    Lançamento do livro e exposição “Tropicália ou Panis et Circencis” 
    Pocket show Margareth Menezes participação Jota Veloso 
    Vídeo Mapping Felipe Sztutman 
    Concepção, direção artística e coordenação geral Ana de Oliveira 
    Cenografia e design gráfico Ray Vianna 
    Local: Caixa Cultural – Rua Carlos Gomes, 57 - Centro 
    Abertura: 03 de julho, às 19h 
    Período expositivo para o público: 04 de julho a 04 de agosto 
    Entrada Franca 



    Fonte: Gisele Santana - Allcance Comunicação

    0 comentários: