• Um caldeirão de pura cultura baiana

    Forró na Bahia

    Fundação Pierre Verger lançará o livro Carybé, Verger & Jorge - Obás da Bahia



    Será num ambiente totalmente recriado com aspectos de festa de largo, com suas barraquinhas de comidas típicas, muito samba de roda e capoeira, que a Fundação Pierre Verger fará o coquetel de lançamento do livro Carybé, Verger & Jorge – Obás da Bahia, último da trilogia Entre Amigos, selo criado e editado pela Fundação e pela Solisluna Editora e que conta com o patrocínio da Odebrecht, através da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura. O evento, intitulado Os amigos visitam Jorge, ocorrerá no dia 26/09 (sexta-feira), às 19h, no Museu de Arte Moderna da Bahia – MAM/Ba, onde está sendo realizada a exposição Jorge, Amado e Universal.

    O livro Carybé, Verger & Jorge – Obás da Bahia, além de celebrar a arte e a amizade existentes entre esses personagens e comemorar o centenário de Jorge Amado, escritor que tão bem soube descrever a Bahia, seus costumes e encantos, tem como foco o candomblé, religião dos antepassados e onde os três foram agraciados com um dos títulos mais respeitáveis da crença africana: Obás, ministros de Xangô, amigos e protetores dos terreiros. O cargo foi dado pela iyalorixá Mãe Senhora, no Ilê Axé Opô Afonjá, um dos terreiros mais reverenciados da Bahia. 

    Neste livro, costurado por textos de Jorge Amado, o leitor verá fotos e traços de Verger e Carybé sobre o tema e tomará conhecimento sobre o culto aos Orixás, os significados de um terreiro baiano e o papel desempenhado por algumas iyalorixás, Mães de Santo, sacerdotisas de tradicionais terreiros da Bahia. Os três personagens utilizaram a própria arte para descrever o cotidiano das Casas de Santo: Carybé ilustrou, Verger fotografou e Jorge Amado descreveu os hábitos e crendices do povo de Axé. É de Pierre Fatumbi Verger uma das frases mais emblemáticas ditas em uma época em que cultuar os orixás era considerado crime. "O Candomblé é para mim muito interessante por ser uma religião de exaltação à personalidade das pessoas. Onde se pode ser verdadeiramente como se é, e não o que a sociedade pretende que o cidadão seja. Para pessoas que têm algo a expressar através do inconsciente, o transe é a possibilidade do inconsciente se mostrar", disse o etnólogo. 

    “Costumo dizer que os amigos, contemporâneos, baianos fundamentais, Carybé, Verger e Jorge não foram fundamentais para o candomblé, mas o candomblé foi fundamental para eles. Não à toa eles três, e também Caymmi, foram escolhidos e consagrados ministros de Xangô pelas mãos da sempre reverenciada iyalorixá Mãe Senhora, do Ilê Axé Opô Afonjá. Isso representa a força que a religião teve e ainda tem como elemento aglutinador que exaltou a afinidade e a amizade entre eles”, disse Gilberto Sá, presidente da Fundação Pierre Verger. 

    A obra encerra com maestria a trilogia iniciada com o livro Carybé & Verger – Gente da Bahia, em 2008, que trata da alegre e fraterna amizade desses dois viajantes que renasceram na Bahia e retrataram o dia a dia da gente mais simples de Salvador e do Recôncavo. Na segunda obra, Carybé, Verger & Caymmi – Mar da Bahia, lançada em 2009, o leitor percebe o colorido das fotos em preto e branco da velha Rolleyflex de Verger, bem como toda a riqueza dos traços singulares de Carybé, prenhes de movimento e poesia que retratam o cotidiano da época em que as velas dos saveiros enfeitavam o azul das águas da Baía de Todos os Santos. Toda essa riqueza foi embalada no livro pelas magníficas canções praieiras de Caymmi, que acabaram servindo como trilha sonora para a obra. 

    “Carybé, Verger & Jorge – Obás da Bahia descreve a interação entre Carybé e Verger, que vieram conhecer a Bahia após a leitura da obra Jubiabá, escrita por Jorge Amado, que acabou servindo de motivação para a viagem deles”, conta Enéas Guerra, idealizador da publicação da série ‘Entre Amigos’ e responsável pela concepção, edição e design da trilogia. “Neste último livro trata-se do candomblé como fonte de inspiração para a arte peculiar de cada um desses três personagens. As ilustrações de Carybé ganham ainda mais vida quando fundidas com as fotos de Verger e com as narrativas de Jorge Amado”, define Enéas Guerra. 

    Lançadas separadamente, a partir do lançamento de Carybé, Verger & Jorge – Obás da Bahia, o público poderá adquirir toda a trilogia Entre amigos numa luva especialmente concebida para reunir as três obras. A luva com os três volumes estará à disposição dos interessados nos formatos bilíngue Português/Inglês e Espanhol/Inglês. “As obras se complementam. No início pensávamos na produção de apenas um livro, mas com a quantidade de conteúdo cultural apresentada por esses artistas não tivemos opção senão separarmos em outras edições. A coleção é um grande presente”, disse Gilberto Sá. 

    “Em Carybé, Verger & Jorge – Obás da Bahia fiz um link entre os três personagens e a cultura negra, mais precisamente sobre o candomblé da Bahia com suas maiores representantes no século XX, as iyalorixás Aninha e Senhora, do Ilê Axé Opô Afonjá; Mãe Menininha, do Gantois; Tia Massi, da Casa Branca e outras. Usei os textos de Jorge Amado e as inúmeras correspondências trocadas entre esses Obás e as mães de santo para provar a amizade e o respeito existente entre eles. Questionei o porquê de três pessoas descrentes em religião serem justamente os maiores defensores do candomblé, tendo recebido, inclusive, o título de ministros de Xangô, um dos mais importantes para o povo de Axé. Enquanto no livro Carybé & Verger – Gente da Bahia usei uma linguagem mais humorística e no Carybé, Verger & Caymmi – Mar da Bahia foi usada locução mais poética, em Carybé, Verger & Jorge – Obás da Bahia, o leitor encontrará um texto mais jornalístico, bem ao estilo Jorge Amado de descrever, além de uma breve biografia de algumas Iyalorixás da Bahia”, disse o jornalista José Barreto, autor e organizador da trilogia Entre Amigos. 

    Sobre os artistas: 

    Carybé - Hector Julio Páride Bernabó ou Carybé nasceu em 07 de fevereiro de 1911, na cidade de Lanús, Buenos Aires. Radicado na Bahia, exerceu as profissões de pintor, desenhista, ilustrador, ceramista, escultor, muralista, pesquisador, historiador e jornalista. Carybé acreditava na força da miscigenação das Américas e apaixonado pela Bahia, retratou a cultura do seu povo, os rituais afro-brasileiros, a capoeira, as belezas naturais e arquitetônicas do Estado através das diversas expressões da sua arte. Uma de suas obras mais conhecidas é o conjunto de painéis “Os povos afros”, os “Ibéricos” e “Libertadores” de 1988. Estas obras fazem parte da decoração do mural do Memorial da América Latina, situado no bairro da Barra Funda (cidade de São Paulo). Faleceu em 1997, em Salvador. 

    Pierre Verger - Pierre Edouard Leopold Verger nasceu em 04 de novembro de 1902, em Paris, França. Fotógrafo e etnólogo autodidata, assumiu o nome religioso de Fatumbi (renascido pelo Ifá) e dedicou boa parte da sua vida ao estudo da diáspora africana, seus fluxos culturais e religiosos. Verger se apaixonou pela Bahia lendo "Jubiabá" e se tornou amigo das maiores personalidades baianas do século XX, como o próprio Jorge Amado, Mãe Menininha do Gantois, Gilberto Gil, dentre outros notáveis. Na entidade sem fins lucrativos Fundação Pierre Verger, instalada na Ladeira da Vila América, em Salvador, estabeleceu e continuou seu trabalho. Na Fundação estão arquivadas mais de 63 mil fotografias e negativos tirados até 1973, como também os documentos e correspondências de Verger. Faleceu em 1996, em Salvador. 

    Jorge Amado – Nascido em Itabuna, Bahia, em 10 de agosto de 1912, Jorge Leal Amado de Faria foi um dos mais famosos e traduzidos escritores brasileiros. Ele é o autor cujas obras foram mais adaptadas para o cinema e para a televisão no Brasil e até hoje são verdadeiros sucessos como Tieta do Agreste, Gabriela, Cravo e Canela e Teresa Batista Cansada de Guerra, além de Dona Flor e Seus Dois Maridos e Tenda dos Milagres. Seus livros foram traduzidos em 55 países, em 49 idiomas, existindo também exemplares em braille em fitas gravadas para cegos. Faleceu em Salvador, em 2001. Em 2012 comemora-se o seu centenário com uma programação que inclui filmes, documentários, exposições e show musicais por todo o Brasil. 



    Serviço 
    O quê: Lançamento do livro Carybé, Verger & Jorge – Obás da Bahia 
    Quando: 26 de setembro, às 19h 
    Onde: Museu de Arte Moderna da Bahia – MAM/Ba (Endereço: Avenida Contorno, S/N – Solar do Unhão) 
    Valor: No dia do lançamento R$ 70,00 cada exemplar avulso ou R$ 200,00 a luva com os três volumes. l Forma de Pagamento: à vista, cheque ou cartões de crédito Editora: Fundação Pierre Verger e Solisluna


    Fonte: Texto & Cia

    0 comentários: