• Um caldeirão de pura cultura baiana

    Forró na Bahia

    Folia tem início no Pelô com muita percussão



    O Pelourinho deu início ontem (03) ao Carnaval no Centro Histórico com um evento inédito de abertura dos festejos. O lançamento da folia contou com a inauguração da exposição “Percussionistas, Percursos e Percussões”, além do apoteótico show “Batuque no Pelô” que reuniu um total de 76 percussionistas em homenagem aos ícones baianos Mestre Prego e Neguinho do Samba.

    A maior festa de rua do planeta foi declarada aberta no Pelourinho por um cortejo dos Filhos de Gandhy e com a presença do Secretário de Cultura, Albino Rubim, que representava o Governador do Estado, Jaques Wagner, do Diretor do IPAC, Frederico Mendonça e da Diretora do programa Pelourinho cultural, Simone Reis. A melodia do Gandhy, por si só, foi um convite ao convívio pacífico.

    Com três grandes sombreiros em azul e branco, os integrantes do Gandhy desceram a Rua Gregório de Mattos dançando até a frente do palco, instalado no Largo do Pelourinho. O palco principal, ornamentado com instrumentos percussivos gigantes, foi elaborado como parte da decoração do Pelourinho executada pelo artista plástico Ray Vianna, vencedor do Concurso para a Decoração do Carnaval do Pelô 2011.

    Das sacadas da Fundação Casa de Jorge Amado surgiram quatro percussionistas, e a folia começou oficialmente. No palco principal, se posicionaram 16 percussionistas baianos que representavam as três gerações do ritmo no estado. Cada um dos músicos conduziu um tema, acompanhado e enriquecido pelos demais.

    Da levada do maracatu, a adição de um trompete evocava o jazz. Com uma entrada certeira da bateria, o jazz virou samba rock. A flauta doce em tom maior trouxe alegria, o clarinete tornou a mistura um lamento, retornando em seguida à cadência ritmada até chegar ao samba-reggae, ritmo nascido e criado no Pelourinho, pelas mãos de Neguinho do Samba. O compositor e também percussionista Gerônimo participou da apresentação entoando a canção “Menino do Pelô” de Saul Barbosa.

    O ápice da noite foi a entrada do Meninos do Pelô pela Rua das Portas do Carmo e da Didá pela mesma rua Gregório de Mattos, de onde horas antes o Gandhy havia aparecido. Didá e Meninos do Pelô, projetos musicais e sociais que são o grande legado dos homenageados da noite, Neguinho do Samba e Mestre Prego respectivamente, tocaram juntos para encerrar a noite. No repertório, até sucessos de Michael Jackson como “The don’t really care about us”.

    A iniciativa do Carnaval do Pelô 2011 é do Governo da Bahia, através da secretaria estadual de Cultura (SecultBA), Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC) e programa Pelourinho Cultural, com aporte de R$ 1,6 milhão. A festa acontece até terça, dia 8, sempre das 16h às 02h da madrugada.

    Para quem perdeu a agitação da grande noite de abertura, hoje (04), a partir das 16h, há mais atrações no Largo do Pelourinho. Quem se apresenta é uma conhecida do axé music, Sarajane, e Aloísio Menezes. Nos demais largos, haverá também o axé de Missinho, o hip hop de Nova Saga, o soul e funk de Dão e Caravana Black, e todo o reggae de Semente da Paz. Pelas ruas do Centro Histórico, haverá performances, bonecões, bandinhas – como o Frevo da Bahia e a Bandinha do Grimaldo. Duas grandes atrações prometem marcar a programação: Meninos dos Pelô e o Olodum.


    Fonte: Texto & Cia

    0 comentários: