• Um caldeirão de pura cultura baiana

    Forró na Bahia

    "Atrás da curva perigosa eu sei que existe alguma coisa nova mais vibrante e menos triste"



    Foto: Carla Palmeira


    Depois de uma ascensão comercial com a apresentação no Brazilian Day, em Londres, os baianos do Vivendo do Ócio, voltam a Salvador e se apresentam com a Banda Acord.
    Era notório o trabalho das bandas antes do show, se pelas redes sociais já recebíamos noticias de que a passagem de som tinha sido sensacional, imagina o que nos esperava.

    Alvoroço?!
    Acredito que esta palavra identificaria o que eu estava vendo ao chegar no Groove naquela noite de quinta-feira. Clima perfeito para representar muito bem o título da festa: "Night On Fire".

    Dj Pinguim, sempre com um repertório renovado, recepciona a "galera" rock in roll em alto e bom som, dando o tom da noite.
    Quem inicia a casa, fervilhando a pista, é a Banda Acord.
    Algo estimulante pairava no ar, a banda subiu ao palco tocando como se o mundo acabasse no dia seguinte, com um gás inesgotável e a sensação de adrenalina transbordando, a banda trouxe músicas do seu CD "Não há mais tempo para ficar parado" lançado recentemente e o inevitável Raul Seixas, interpretado pela Acord e Jajá Cardoso (Vivendo do Ócio).

    Penso, que por ser uma das bandas mais esperada, a Vivendo do Ócio assume o palco e consegue preencher todos os espaços que ainda faltavam. Com muita diversão e o peso dos metais, a banda presenteia os conterrâneos com um brilho especial. Repertório autoral e em fase de divulgação do clipe da música Meu Precioso, eles fecham com chave de ouro e comemoram ao som da discotecagem do Dj Pinguim.

    Duas bandas baianas formadas por jovens, duas bandas que se aproximam da linguagem atual que permeiam esse mundo, com letras despretensiosas cheias de pretensão, duas bandas em que o rock é o seu principal alimento e a amizade é a harmonia da melodia.

    Assim foi a noite de quinta-feira, 28 de Outubro, no Groove Bar e mesmo me sentindo em uma saída fotográfica devido ao número considerável de fotógrafos, o Dendê Cultural pôde eternizar alguns momentos. Clique aqui

    0 comentários: